A cada dia que passa as organizações tem caminhado a largo passos para a utilização de computação na nuvem, mas, o que é isso?

A tecnologia de Cloud Computing ainda trás muita desconfiança devido a questões legais, principalmente quando o cliente é governo, independente da esfera.

Antigamente a tecnologia de Cloud era vista apenas para armazenar arquivos remotamente, nas ultimas décadas se transformou um novo mercado digital, sendo o principal modelo de negócios dos grandes Players no mercado atual – AWS, Microsoft, Google

O que esta em disputa por essas empresas é o controle dos serviços, é a entrega de serviços com uma estrategia de mudança cultural, fazendo que a cada dia mais empresas migrem seus serviços e produtos para a nuvem.

Um exemplo clássico de nuvem é o Microsoft Azure, neste artigo estamos disponibilizando um guia completo sobre essa tecnologia e nos próximos artigos vamos destrinchar muitos pontos dessa importante nuvem.

Pronto para começar? Então, vamos juntos!

1. O que é o Microsoft Azure?

Hoje é o principal produto da Microsoft, apresentado em 2008 e lançado oficialmente em 2010 foi renomeado em 2014 para o Microsoft Azure. Hoje todas as certificações da Microsoft estão voltadas para o ambiente Azure e O365.

2. Para que serve o Azure?

Simplificando a resposta, o Azure é uma plataforma que oferece Infraestrutura e serviços necessários para qualquer ambiente computacional.

o Azure pode ser usado explorando todas as vertentes da computação em nuvem, podendo ser contrato como IaaS (Infrastructure as a Service – Infraestrutura como Serviço), PaaS — Platform as a Service (Plataforma como Serviço) .

Com uma imensa capacidade de lidar com Big Data, Data Lake e Data Mining e possivel incluir muitas oportunidades de negocios com Business Intelligence tanto nas tarefas administrativas com na otimização de custos.

3. Como funciona?

Baseado em uma tecnologia de virtualização, assim como as outras plataformas de nuvem, o Azure emula em software o hardware dos computadores, utilizando instruções codificadas, permanentes ou não, desta forma o hardware emulado pode ser usada como um hardware real.

o Azure então é um conjunto de servidores físicos em vários datacenters, espalhados pelo mundo, que executam hardware virtualizado em nome dos clientes.

O Microsoft Azure opera em dois modelos diferentes: PaaS e Iaas.

3.1. PaaS

Geralmente essa modelo e utilizado de forma hibrida, a Platform as a Service, ou PaaS, oferece condições necessárias para que programas e sistemas possam ser acessados e administrados na nuvem por meio da estrutura interna do cliente.

Com os sistemas no formato Paas, o negocio ganha em produtividade, simplifica a gestão, reduz os custos e os riscos.

3.2. IaaS

A Infraestructure as a Service, ou IaaS, praticamente elimina a necessidade de ter uma infraestrutura interna de datecenters, toda computação e armazenamento são feitos na nuvem, dando mobilidade, flexibilidade e economia aos processos, rotineiros ou não, de um negocio.

4. Principais serviços do Microsoft Azure

Agora que você entendeu melhor do que se trata o Microsoft Azure, é hora de listar, com mais detalhes, os serviços disponíveis para a sua empresa e como eles podem contribuir para a produtividade, a economia e o crescimento no mercado.

4.1. Máquinas virtuais

Máquinas virtuais são sistemas operacionais que funcionam como computadores completos, mas com todos seus recursos de armazenamento e computação originados da nuvem.

No Microsoft Azure, é possível adquirir quantas máquinas virtuais forem necessárias para administrar o negócio, com a flexibilidade de configuração e ferramentas específicas para cada caso.

Por exemplo, a TI pode contar com máquinas virtualizadas que utilizem Linux para desenvolvimento e gerenciamento, enquanto outro setor que precise utilizar um programa mais simples e exclusivo para Windows recebe acesso a ele sem precisar de tanta computação. É como ter vários computadores dentro do sistema sem a necessidade de investir em hardware.

4.2. Gerenciamento de rede

Com toda a operação centralizada no Azure, ele permite que o gerenciamento da rede interna seja feito dentro do próprio painel de controle. O observador de rede permite monitorar, diagnosticar e obter informações sobre o desempenho e a integridade do sistema.

4.3. Aplicações em nuvem

Assim como é possível simular um computador inteiro dentro da nuvem, o Microsoft Azure também pode ser usado como plataforma de softwares virtualizados.

Aplicações em nuvem aumentam a produtividade, simplificam a aquisição e gestão de contratos e permitem mobilidade para a empresa — é possível acessar ferramentas produtivas importantes de qualquer lugar do mundo.

4.4. Armazenamento e Backup

O backup dos dados é ponto-chave do sucesso de negócios digitais — que têm na coleta e manuseio dessas informações sua principal vantagem competitiva.

Com o Azure, todo esse processo é simplificado e automatizado. Em caso de comprometimento de dados ou indisponibilidade do sistema em desastres, a empresa recupera seu sistema em questão de minutos e não sofre os prejuízos de ter que parar a operação.

4.5. Contêineres

Contêineres são pacotes de códigos e ferramentas isolados do sistema em que estão funcionando. São a solução mais popular hoje para dar portabilidade e flexibilidade ao desenvolvimento de produtos digitais.

Se a sua empresa trabalha com SaaS, aplicativos ou softwares para o público final, o serviço nativo de contêineres do Azure agiliza o trabalho dos desenvolvedores e aumenta a qualidade da entrega, por permitir testes customizados em plataformas distintas.

Além disso, fica fácil passar o seu produto para outros sistemas se houver uma alteração de foco no mercado ou mudança de estratégia de negócio.

4.6. Bancos de dados SQL

O Azure tem talvez o melhor serviço de banco de dados na nuvem relacional disponível no mercado. Seu SQL é inteligente e totalmente gerenciado, com alta compatibilidade e portabilidade para migrar bancos sem alterar os aplicativos.

4.7. Análise de dados com IA e Machine Learning

A Microsoft também oferece recursos de Inteligência Artifical e Machine Learning como módulos na sua assinatura do Azure. O uso dessas tecnologias permite uma análise de dados muito mais complexa do que os relatórios de desempenho tradicionais e pode apontar novos rumos para a sua empresa.

Além disso, a inclusão de IAs em processos automatizados é uma fonte de otimização e economia, já que essa tecnologia tem capacidade de interpretar indicadores de performance e sugerir modelos melhores de desenvolvimento e administração.

4.8. IoT

A Internet das Coisas vem revolucionando a produtividade no ambiente de trabalho, utilizando dispositivos inteligentes para monitorar e analisar o desempenho de máquinas e pessoas.

O Azure oferece um Hub específico para IoT, que conecta e gerencia potencialmente bilhões de dispositivos em um único sistema de gestão apoiado pela nuvem.

5. Como implementar na minha empresa?

Agora que você conheceu tudo o que o Azure pode fazer por um negócio, com certeza identificou alguns desses serviços capazes de melhorar a gestão financeira, de pessoas e de produtividade dentro da sua empresa. Como, então, investir em uma assinatura? A gente conta, a seguir:

5.1 Qual o preço do Azure?

Claro que a primeira questão na sua mente tem a ver com o preço. É muito difícil estimar o quanto a sua empresa vai precisar investir no Azure, já que cada negócio tem suas particularidades e necessidades tecnológicas.

A grande vantagem do serviço é que seu custo é flexível — você só paga pelo que precisa. Dessa forma, o valor da assinatura será proporcional aos recursos e ferramentas contratadas.

Para facilitar a vida do decisor financeiro, a própria Microsoft oferece uma calculadora de preços. Nela, é possível selecionar os serviços que você precisa e ter uma estimativa do custo final da estrutura contratada.

Além disso, na mesma página, a Microsoft possui uma calculadora de TCO — Custo Total de Propriedade. Com essa ferramenta dá para estimar o valor da sua infraestrutura local e comparar com a nuvem sendo contratada, para fornecer uma ideia bem precisa da economia com a solução.

Ou seja, essa é uma estimativa que precisa ser feita em conjunto pelo setor financeiro e o departamento de TI, para que vocês encontrem o melhor equilíbrio entre recursos e economia.

Se possível, é mais recomendado, ainda, a participação de um parceiro tecnológico com empresas especializadas parceiras da Microsoft, que ofereçam consultoria e apoio para decidir o melhor plano em sua empresa.

5.2 Como é o suporte?

Assim como os pacotes de ferramentas, recursos e infraestrutura, o suporte do Microsoft Azure pode ser contratado em planos fechados. O plano básico é o único gratuito e oferece apenas opções de suporte à assinatura, cobrança e atendimento 24/7.

O ideal é a contratação de planos pagos, que não são caros e expandem em muito o suporte dado pela Microsoft. Quanto maior o plano escolhido, mais vantagens você ganha — como suporte técnico, tempo de resposta menor, suporte de operações, treinamentos etc.

Conclusão

A Computação em nuvem veio para ficar, o que vemos hoje em dia é apenas o começo de uma jornada!

O Azure, assim como a AWS, estão em constantes mudanças, devendo o administrador da cloud estar sempre atento a essas mudanças.

O imenso mundo que ainda vai se abrir devido a tecnologia de 5G apenas reforça que o ambiente de infraestrutura interna não devem mais crescer como antigamente, na verdade, a infraestrutura interna se tornará um legado muito em breve.

Fonte: https://brasil.softlinegroup.com/sobre-a-empresa/blog/iaas-paas-saas-nuvem.

https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/cloud-adoption-framework/getting-started/what-is-azure